Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vou ali já venho

Vou ali já venho é considerado pela crítica como o melhor blogue de sempre. Pelo menos foi o que o seu autor ouviu dizer.

Vou ali já venho

Vou ali já venho é considerado pela crítica como o melhor blogue de sempre. Pelo menos foi o que o seu autor ouviu dizer.

Maria Luís

O início da espécie humana ocorreu quando as mãozinhas do Oleiro do Cosmos depositaram no Jardim do Éden um homem e uma mulher. Àquele foi-lhe atribuído um nome masculino, a esta um nome feminino. Em princípio estamos perante uma das mais elementares regras inscritas no manual de instruções que nos foi legado pelo Rei do Universo e dos Algarves. Em princípio sim, na prática não. Recuperemos um diálogo histórico no qual Deus procura ensinar ao primeiro humano por si forjado as regras básicas da nomeação.

 

- Estava tentado a chamar-te Horácio, mas decidi que o teu nome vai ser Empadão, o meu prato favorito.

- Não achas que um nome culinário pode conduzir os meus descendentes ao pecaminoso caminho da gula?

- Não tinha pensado nisso. E for apenas Adão?  

- Por mim tudo bem. Que tal Adão Miguel?

- Um nome próprio por pessoa. Não vamos complicar.

- E em relação aos apelidos familiares? Gostava de me chamar Espírito Santo, em tua honra.

- A tua família é a humanidade. O apelido é uma invenção burguesa destinada a perpetuar os seus privilégios e poder. E olha que esse apelido em particular cheira-me a sarilhos. 

 

Apesar destes sábios avisos a maçã foi trincada e muitos pecados nasceram a jusante dessa transgressão original. Um dos mais inaceitáveis é a criação do nome bissexual. Maria, José e João formam a santíssima trindade deste tipo de degeneração: João Maria, Maria João, José Maria, Maria José são as combinações modais dos nomes bissexuais. A este núcleo duro somam-se variações quase infinitas como Sílvia Alexandre, Diana Rui, João Teresa e por aí fora.

 

Mas o que leva exactamente certos progenitores a dar este tipo de nomes próprios aos filhos? Será que a nomeação bissexual dos filhos é um grito de protesto contra uma ordem de género que consideram reacionária e obsoleta? Talvez. Esta pode ser aliás uma estratégia de combate político a ser usada pelas principais figuras do Bloco de Esquerda. Lanço daqui um repto ao ex-chefe (coordenador?!) e à actual manda-chuva do partido para mudarem os seus nomes para Francisco Soraia Louçã e Catarina Júlio Martins, respectivamente. A ILGA iria acarinhar a iniciativa com toda a certeza.

 

A segunda hipótese explicativa é a de que estamos perante um problema de expectativas parentais frustradas. O pai queria uma Maria, a cegonha enganou-se no sexo do produto encomendado, e a forma que aquele teve para lidar com tal descoincidência foi chamar ao nascituro Manuel Maria. Manuel da parte da genética, Maria do lado da frustração paterna.  

 

 Por último, importa equacionar a possibilidade de a nomeação bissexual ser um estratagema usado pelos progenitores para melhorar as oportunidades das suas crias num mundo pejado de desigualdades entre homens e mulheres.

 

- Cara Josefina, o máximo que lhe posso pagar são 700 euros por mês.

- Mas o Fernando ganha 1000 e faz a mesma coisa.

- O Fernando é o Fernando, a Josefina é a Josefina.

- Mas eu chamo-me Josefina Roberto.

-Roberto?! Então merece receber 1000 euros também!

 

Há cada vez mais indícios que validam as premissas desta terceira hipótese. Embora os conselhos de administração das grandes empresas em Portugal sejam um pasto monopolizado pelos homens, tal não impediu que a Arrow Global contratasse para esse órgão a ex-ministra das finanças. As más-línguas insinuam que essa aquisição se deveu ao facto de a pessoa em causa ter acumulado informações preciosas para a empresa que agora a contratou durante o seu mandato no governo. Estamos, como é bom de ver, perante calúnias maliciosas. Na verdade, as portas do conselho de administração desta garbosa empresa financeira, distintamente classificada como “fundo abutre”, abriram-se para a Maria porque ela é também Luís. E isso faz toda a diferença.   

 

FPC

 

                                                   

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub